Massagio e Medicina


A drenagem e o pós operatório


Massagem e medicina por Renata França

Criadora da massagem mais desejada pelos famosos entrevista para a J.P médicos e especialistas, abordando os benefícios da massagem na saúde das pessoas

DR. José Yoshikazu Tariki

Cirurgião plástico formado pela USP com residência em cirurgia plástica pelo Hospital das Clínicas

Renata França: Quanto sua experiência estudando microcirurgia no Japão agregou à profissão de médico? José Yoshikazu Tariki: Esse período me proporcionou uma experiência fundamental de técnica cirúrgica e uma visão profunda sobre a importância das cirurgias reparadoras.

RF: Em 2018, 1,7 milhão de cirurgias foi realizado no Brasil, sendo 60% para fins estéticos. O Brasil é líder em intervenções desse tipo? JYT: Sem dúvida, a cirurgia plástica brasileira tem destaque e reconhecimento por parte da comunidade mundial da especialidade. A Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica é a segunda maior, atrás apenas dos Estados Unidos. Somos também o segundo país em número de cirurgias plásticas realizadas.

RF: Quais são os principais procedimentos realizados pelo senhor em sua clínica? JYT: As cirurgias de mama redutora com próteses e reconstruções por câncer, além de abdominoplastias, lipoaspirações, cirurgias de pálpebras, cirurgias de face e de nariz.

RF: E qual é a sua opinião sobre a drenagem linfática no contexto do pós-operatório? JYT: É um excelente procedimento pós-operatório, porque permite uma melhor e mais rápida recuperação relacionada ao edema, inchaço, redução da fibrose. No caso da fibrose, aliás, a massagem é uma excelente opção para acelerar sua dissolução da doença.

RF: Em que casos a massagem pode ser uma importante aliada? JYT: Na lipoaspiração, ameniza as irregularidades que podem evoluir para ondulações e áreas de fibrose. Na cirurgia de face, pode-se aplicar uma massagem leve no pescoço para melhor acomodação da pele, evitando retrações e aderências.

RF: Quanto tempo depois da cirurgia ela deve ser realizada? JYT: A partir da segunda ou terceira semana de pós-operatório, sempre levando em conta a dor que a paciente poderá sentir. No início, devem ser mais suaves, aumentando a intensidade, gradativamente, de acordo com cada área corporal.

RF: Em que casos a massagem é contraindicada? JYT: Em áreas mantidas estáveis por pontos, como nas cirurgias de mama, de abdome e do terço médio da face. Quanto às cirurgias com próteses de silicone, é aconselhável evitar a manipulação das mesmas, apesar de alguns cirurgiões a recomendarem.

RF: Costuma recomendar a drenagem para seus pacientes? JYT: Recomendo a drenagem para as pacientes de face e de pescoço, abdome e lipoaspiração. Já a massagem, para a lipoaspiração, cirurgia de pescoço e abdome, próximo a cicatriz.